Etiquetas

Rachid bin Amir al Hantan está lutando pela soberania de seu pequeno país. Ele precisa encontrar aliados poderosos – e rápido. Participar do casamento de Dominic Corisi é tanto sobre reconectar-se com velhos amigos, afinal, trata-se de celebrar núpcias. A última coisa que ele precisa agora é a distração de uma mulher. Essa mulher é Zhang Yajun, uma bilionária, que não pode acreditar que aceitou o desafio de beijar o Sheikh Rachid antes do final do casamento. Quando palavras impulsivas levam a ações ainda mais impulsivas, esses dois descobrirão que às vezes a última coisa que você estava procurando é a única coisa que pode salvá-lo.

 

Por algum motivo que desconheço, e não consegui encontrar no Google, o livro Salvando o Sheik não foi lançado no Brasil. Quando terminei de ler o terceiro livro da série comecei a procurar o livro, mas nada encontrei. Foi muito chato. Mas eu não sou mulher de deixar série incompleta, só se o autor não houver escrito. Ai tudo bem.

Saí a cata do livro e só achei no mercado negro, ou seja, PDF, tradução pouco confiável, mas por sorte achei uma versão até muito boa e matei minha curiosidade.

Então para fechar a série vamos ao Sheik.

Rachid bin Amir al Hantan, é o primogênito, herdeiro legítimo de um império. Mas seu nascimento trouxe muita dor ao seu pai, sua mãe morreu de parto. Ele foi rejeitado, mas nunca foi abandonado. Foi criado longe de seu país, e teve a melhor educação que o dinheiro pode comprar. Ele nunca teve certeza dos sentimentos do seu pai por ele. Esse conflito coloca em jogo a liderança de seu país. Afinal Rachid tem novas ideias e seu pai as antigas.

Ele é inteligente, bonito, sua presença é forte, dominante. Um líder nato, possui honra, é leal aos amigos e dedicado. Foi feito para que nos apaixonemos por ele.
Para combinar com alguém desse porte, nos precisávamos de uma mocinha a altura. E ela aparece na figura de Zhang Yajun. Uma mulher que fez fortuna mudando seu proprio destino. O amor não é tema de sua agenda e quando ele aparece as coisas tendem a se complicar. O assunto veio a pauta ao ver seus amigos se casando, Dominic e Abby, aquela celebração pública de amor é tudo.

Dizem, que quem procura acha, mesmo que demore, e, é o que vai acontecer. Um casamento chama outros, tembém já ouvi essa, é, o que parece. Não tenho certeza. Mas no casamento de Abby e Dominic.Muitas coisas aconteceram.

Zhang e Rachid se encontram e a atração entre eles é muito forte. Sem falar que Zhang foi desafiada por uma amiga a beijar o Sheik antes do fim do casamento. Desafio aceito e quando ela o beijou algo mudou. Os dois combinam em ímpeto e determinação. Movidos por essa “atração”, eles fazem uma loucura, descidem sair do casamento e brincar de “rapto”, haréns, tendas, almofadas de seda. Eles sabem que não tem futuro juntos, seus mundos jamais poderão se ligar.

O encontro do casal é sensual, quente, aff! Uma delicia de se ler.

Mas nessa vida tudo tem consequências, e quando o dia nasce, elas batem a porta. Os dois se vêem envolvidos em uma grande confusão e o único modo de resolver é com troca de alianças. Casamento. Zhang se sente confusa e furiosa, casar era a última coisa que planejou para aquele fim de semana.

Rachid vai agir como deve, macho alfa, dominante. Ela não está acostumada a um homem lhe dizendo como agir. E ele não sabe lidar com uma mulher tão determinada, inteligente. Entre um golpe de estado e traições esses dois vão encontrar o segredo da felicidade.

Um romance que nos fala de paixão, escolhas e responsabilidade. O orgulho pode por esse amor para correr. No fim vence o amor e todos os problemas e perigos são resolvidos se você encontrar alguém em confiar e amar.

A autora fez uma excelente série, vi mais titulos, mas vou esperar que eles venham para o Brasil.

 

Minha nota? Quatro beijos mordidos!

Anúncios