Etiquetas

,

Em Dublê de Corpo, acompanhamos a perita médica de Boston Dra.Maura Isles no bizarro encontro com seu duplo: ela fica aturdida a se descobrir idêntica a uma mulher que acaba de ser assassinada. Como patologista em uma grande cidade. A Dra. Maura lida com a morte todos os dias. E está habituada com uma parcela diária de corpos. Muitas vítimas de assassinatos violentos. Mas nunca antes ela ficou tão assustada. e nunca a expressão “clone” soou tão terrivelmente próxima. Por que nunca antes o corpo inerte na mesa da perita médica foi o seu próprio. Não há como negar a evidência perturbadora diante de seus olhos chocados e os de seus colegas. Incluindo a detetive Jane Rizzoli. A mulher encontrada morta em frente à casa de Maura é idêntica à doutora. Até os mais íntimos detalhes. Ainda mais apavorante é a descoberta de que compartilham a mesma data de nascimento e tipo sanguíneo. Para a atônita Maura. Filha única. Só pode haver uma explicação. E quando o teste de DNA confirma que a misteriosa sósia de Maura é. em verdade. Sua irmã gêmea. Uma investigação de homicídio já bizarra torna-se uma perigosa e perturbadora excursão em um passado repleto de segredos.

Foi estranho. Minha primeira leitura desse livro me fez desistir, acreditam? Impaciente fiquei me perguntando, cadê os personagens? Acho que estava com a cabeça muito cheia, ou de ressaca literária. Dois dias depois retomei a leitura do primeiro capítulo e só então conseguir entender o que a Tess Gerritsen estava tentando dizer. Um assassino em plena formação.

O livro é tão bom quanto os anteriores, talvez um pouco mais, pois não gostei tanto assim do o Pecador. Mas em Duble de Corpo, eu, leitora fiquei presa na teia da Tess.

A história do livro é cheia de detalhes, que só fazem sentido a partir do momento que compreendemos os assassinos revelados, ou não.

Quando a Dra. Maura Isles volta de Paris, após uma semana cansativa de palestras se vê interrogada, todos a olham como se vissem um fantasma. Um corpo foi encontrado, é uma mulher, e ela é a sua sósia. Isso não é Spoiler.

Durante a leitura, à medida que a história se desenvolva, e que os corpos foram aparecendo fiz mil conjecturas. Não tem como ficar imune. Principalmente quando uma mulher gravida é raptada e colocada em confinamento em uma caixa. Daí em diante a história toma um rumo que ninguém podia prever.  Descobrir suas origens tem um preço e Maura está disposta a pagar por eles.

Os personagens são humanos e consistentes, a luta pela sobrevivência está em todos eles em maior e menor tom. E isso me fascina. O que você faria para sobreviver? Resposta? Tudo.

Jane Rizzoli está cada vez melhor e vai ajudar Maura seguir adiante.

Tomei alguns sustos e sofri junto com a Dra. Maura, foi difícil descobrir certas coisas. E no fim do livro, cara o que foi aquele tiroteio. Eu tomei um susto tão grande que falei: Puta Merda!

Tess Gerritsen qualquer dia me faz ter uma coisa!

Bem, o livro é muito bom, do começo ao fim. Vale cada página lida. Minha nota? Cinco beijos mordidos!

 

 

Advertisements