Etiquetas

, , ,

la20111007ls356-museu-historico-nacional-desembarque-cabral-landingQuando era pequena e a professora falou sobre o descobrimento do Brasil não me impressionou.  Ela não explicou que não existia Brasil antes de Cabral pisar na praia.

Na minha cabeça as coisas ficaram a deriva. Não tinha ideia que existia a praia, a mata e um mundo inexplorado.  Com o tempo a ideia ficou clara, mas a estrutura dos acontecimentos ficou obscurecida.

Só muito depois a imagem tomou forma em minha imaginação.

Frota de CabralAs caravelas se aproximando, o mar, nosso mar inexplorado, puro e rico. Imaginei o cheiro, da mata cada vez mais próxima, os pássaros. Os homens portugueses cansados, azedos em suas roupas de veludo e linho. O convés de madeira, Cabral olhando a praia e pensando no que encontraria. Estaria ele aliviado, emocionado? Será que se sentiu feliz em realizar sua missão?

Do outro lado os índios. Visitas indesejadas, a mudança inevitável, o fim do paraíso. A chegada de doenças e da morte. A curiosidade vence.

cabralOs estranhos chegam à praia e as coisas não são como a pintura o “Desembarque de Cabral” -Oscar Pereira da Silva, não foi um encontro de amigos. Havia o interesse, a fome por riquezas, os índios ali era meros obstáculos. Nus, com suas armas rudimentares, alvos fáceis para os conquistadores de um mundo hostil.

Minha mente se encheu de imagens, a conquista, as mudanças, as vilas, as revoltas, os heróis, os mortos, a exploração, as mentiras. As batalhas entre índios e os conquistadores, que chegavam vindos de varias direções tomando um pedaço de terra não conquistado. O tempo deslizando velozmente e nos trazendo aos dias atuais.

Queria ter entendido isso quando a professora falou, que hoje era 22 de abril dia do descobrimento do Brasil.

Olhei a TV, as noticias, e o Brasil de hoje, e sinceramente? Desejei que ao longo de nossa história nós pudéssemos ser menos rudimentares e mais inteligentes. Porque infelizmente ainda vejo pessoas na beira da praia, agindo como índios inocentes, aceitando espelhos e bugigangas em troca de sua terra e liberdade, do seu país.

Anúncios