Etiquetas

, , ,

90044A revista Bula resolveu chegar a uma conclusão sobre quais seriam os 100 melhores livros. Para isso fez uma compilação de 15 listas que foram publicadas em jornais, revistas e sites especializados no mercado editorial e livros.

As listas incluíam livros de todos os tempos entre romances, obras clássicas, alguns do século 20 e até 19. As listas consultadas foram:

“The New York Times”, “Amazon”, “Le Monde”, “The New York Public Library”, “BBC”, “The Guardian”, “Modern Library”, “Time”, “Newsweek”, “Telegraph”, “Lists Of Bests”, “Wikipedia”, “Folha de S. Paulo”, “Revista Época”, “Revista Bravo”.

É um desafio e resolvi aceitá-lo adotando a lista da revista bula, que é a complicação das listas citadas acima. Os livros são tesouros da humanidade, o que de melhor conseguimos. Vários blogs já estão fazendo esse caminho, não é novidade. Achei uma ideia muito legal e vou seguir o exemplo.

Só vou fazer um pouco diferente. Logo darei mais detalhes. Acho que vão gostar da novidade.

Abaixo segue a lista que vou seguir. A cada livro lido, vou fazer a resenha o meu blog.

Legenda:

  • Pintados em laranja são todos que já li e vou rele para fazer a resenha.
  • Em Azul o que já comecei a ler

Os 100 melhores livros de todos os tempos:

1 — Dom Quixote, Miguel de Cervantes, 1605

2 — Guerra e Paz, Liev Tolstói, 1869

3 — A Montanha Mágica, Thomas Mann, 1924

4 — Ulisses, James Joyce, 1922

5 — Cem Anos de Solidão, Gabriel García Márquez, 1967

6 — A Divina Comédia, Dante Alighieri, 1321

7 — Em Busca do Tempo Perdido, Marcel Proust, 1913

8 — O Som e a Fúria, William Faulkner, 1929

9 — O Homem sem Qualidades, Robert Musil, 1930-1943

10 — O Processo, Franz Kafka, 1925

11 — Crime e Castigo, Fiódor Dostoiévski, 1866

 

12 — Anna Kariênina, Liev Tolstói, 1877

 

13 — Édipo Rei, Sófocles, 427 a.c.

 

14 — 1984, George Orwell, 1949

 

15 — O Castelo, Franz Kafka, 1926

 

16 — Ilíada e Odisseia, Homero, século 8 a.c.

 

17 — A Vida e as Opiniões do Cavalheiro Tristram Shandy, Laurence Sterne, 1759

 

18 — Doutor Fausto, Thomas Mann, 1947

 

19 — Lolita, Vladímir Nabókov, 1955

 

20 — Enquanto Agonizo, William Faulkner, 1930

 

21 — A Morte de Virgílio, Hermann Broch, 1945

 

22 — Os Lusíadas, Luís de Camões, 1572

 

23 — O Homem Invisível, Ralph Ellison, 1952

 

24 — Hamlet, William Shakespeare, 1603

 

25 — Finnegans Wake, James Joyce, 1939

 

26 — Rumo ao Farol, Virginia Woolf, 1927

 

27 — Grande Sertão: Veredas (1956)

 

28 — Pedro Páramo, Juan Rulfo, 1955

 

29 — As Três Irmãs, Anton Tchekhov, 1901

 

30 — Orgulho e Preconceito, Jane Austen, 1813

 

31 — O Leopardo, Tomaso di Lampedusa, 1958

 

32 — Pais e Filhos, de Ivan Turguêniev, 1862

 

33 — Contos da Cantuária, Geoffrey Chaucer, século 15

 

34 — As Viagens de Gulliver, Jonathan Swift, 1726

 

35 — Middlemarch, George Eliot, 1874

 

36 — O Apanhador no Campo de Centeio, J. D. Salinger, 1951

 

37 — O Lobo da Estepe, Herman Hesse, 1927

 

38 — O Grande Gatsby, Scott Fitzgerald, 1925

 

39 — O Mestre e Margarida, Mikhail Bulgákov, 1940

 

40 — As Vinhas da Ira, John Steinbeck, 1939

 

41 — Memórias de Adriano, Marguerite Yourcenar, 1951

 

42 — Paralelo 42, John dos Passos, 1930

 

43 — Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley, 1932

 

44 — As Asas da Pomba, Henry James, 1902

 

45 — O Jogo da Amarelinha, Julio Cortázar, 1963

 

46 — A Náusea, Jean-Paul Sartre, 1938

 

47 — A Peste, Albert Camus, 1947

 

48 — Folhas de Relva, Walt Whitman, 1855

 

49 — Memorial do Convento, José Saramago, 1982

 

50 — A Invenção de Morel, Adolfo Bioy Casares, 1940

 

51 — O Tambor, Günter Grass, 1959

 

52 — Retrato do Artista quando Jovem, James Joyce, 1917

 

53 — José e Seus Irmãos, Thomas Mann, 1933-1943

 

54 — Doutor Jivago, Boris Pasternak, 1957

 

55 — A Cidade e as Serras, Eça de Queirós, 1901

 

56 — O Estrangeiro, Albert Camus, 1942

 

57 — Otelo, William Shakespeare, 1622

 

58 — O Príncipe, Nicolau Maquiavel, 1532

 

59 — O Amante de Lady Chatterley, D.H. Lawrence, 1928

 

60 — Os Cantos, Ezra Pund, 1948

 

61 — A Consciência de Zeno, Italo Svevo, 1923

 

62 — On The Road, Jack Kerouac, 1957

 

63 — O Senhor dos Anéis, J.R.R. Tolkien, 1954

 

64 — A Terra Desolada, T. S. Eliot, 1922

 

65 — A Origem das Espécies, Charles Darwin, 1859

 

66 — A Laranja Mecânica, Anthony Burgess, 1962

 

67 — Luz em Agosto, William Faulkner, 1932

 

68 — O Coração das Trevas, Joseph Conrad, 1902

 

69 — Madame Bovary, Gustave Flaubert, 1856

 

70 — O Paraíso Perdido, John Milton, 1667

 

71 — Rei Lear, William Shakespeare, 1608

 

72 — Por Quem os Sinos Dobram, Ernest Hemingway, 1940

 

73 — Eneida, Virgílio, 19 a.c.

 

74 — Matadouro 5, Kurt Vonnegut, 1969

 

75 — A Sangue Frio, Truman Capote, 1965

 

76 — Histórias, Heródoto, 440 a.c.

 

77 — Moby Dick, de Herman Melville, 1851

 

78 — Mrs. Dalloway, Virgínia Woolf, 1925

 

79 — Lord Jim, Joseph Conrad, 1900

 

80 — Ardil 22, Joseph Heller, 1961

 

81 — A Amada, Toni Morrison, 1987

 

82 — O Capital, Karl Marx, 1867

 

83 — As Aventuras de Huckleberry Finn, Mark Twain, 1885

 

84 — A Revolução dos Bichos, George Orwell, 1945

 

85 — Ficções, Jorge Luis Borges, 1944

 

86 — Frankenstein, Mary Shelley, 1818

 

87 — O Sol Também se Levanta, Ernest Hemingway, 1926

 

88 — Corre, Coelho, John Updike, 1960

 

89 — O Vermelho e o Negro, Stendhal, 1830

 

90 — O Complexo de Portnoy, Philip Roth, 1969

 

91 — Os Três Mosqueteiros, Alexandre Dumas, 1844

 

92 — A Interpretação dos Sonhos, Sigmund Freud, 1900

 

93 — Trópico de Câncer, Henry Miller, 1934

 

94 — Pergunte ao Pó, John Fante, 1939

 

95 — Reparação, Ian McEwan, 2001

 

96 — Os Miseráveis, Victor Hugo, 1862

 

97 — Meridiano de Sangue, Cormac McCarthy, 2008

 

98 — Sonetos, William Shakespeare, 1609

 

99 — Desonra, J. M. Coetzee, 1999

 

100 — O Deserto dos Tártaros, Dino Buzzati, 1940

 

 

Anúncios