Espero que estejam gostando das Crônicas de Alma e Sangue. No segundo capítulo teremos a aparição do Caçador.  Quem leu a série Alma e Sangue está familiarizada com esses homens. Eles foram treinados pela Ouro boros. Quando o primeiro Caçador apareceu dentro de minha cabeça, sabia que era fruto de uma mistura de Salomão Kane, o puritano, e Conan, o Bárbaro, ambos criação do mestre da fantasia Robert Ervin Howard. Ele influenciou tudo de bom que existe hoje em fantasia. Eu nem tentei fugir, ele criou entre outras coisas a Era Hiboriana.

Agora chega de falar, boa leitura 😉Caçador

O Preço – II Parte.

Yasmim havia conseguido permissão para transferir Natália para um local seguro. O que em seu novo manual de conduta significava conhecer Magnólia, a líder da alcateia em Paris. Ela foi escolhida por sua linhagem e força. Iago, herdeiro do Senhor dos Lobos, pessoalmente a consagrou. Natália precisava ter sua primeira alimentação e beber da Ânfora. Se fizesse isso de modo controlado, suas chances de dominar a loba, e ter uma vida normal seriam maiores. Mas era tarde demais, ela provou de sangue e carne humana.

Quando Yasmim chegou para recolhê-la com dois homens lobos, encontrou sua sujeira. Imediatamente chamou a LVL, Limpeza Vampira e Lupina. O território era vampiro, mas a sujeira era de lobisomem.

Natália corria livre pelos telhados. Sua loba a estava guiando direto para Guy Vic, seu mestre e criador. Ele agora possuía domínio sobre sua mente. Ele uivou e os conectou, e lhe mostrou como agir ao matar o mortal, a se banquetear com sua carne e sangue. Afinal a Sentinela tinha o sangue de vampiro. Não lhe interessava. Quando ela uivou em resposta tudo havia sido consumado. Guy Vic era um desgarrado e tentava montar sua alcateia para destituir Magnólia.

Um maldito traidor da raça. Após cem anos bebendo da ânfora, que mantinha seu lado bestial sobcontrole Guy se rebelou, deixou-se sucumbir à lua e o rastro de sua alimentação estava pela cidade.

Quando a ponte Du Carroussel a pareceu, Guy guiou a moto sobre o caminho de pedestres. Os gritos guiaram Yasmim, ele estava sem gasolina e pegou uma mulher como refém. A confusão era geral. Yasmim parou a moto num giro rápido e tirou o capacete. A cascata de cabelos castanhos escorregou por seus ombros.

– Vamos Guy, renda-se. Não tem como você escapar.

– Não sou estúpido! Acha que Magnólia me deixará vivo? Não, ela vai fazer de mim um maldito exemplo!

Enquanto Guy cuspia as palavras Natalia escondia-se atrás dele e parecia bem confusa. Podia entender sua confusão e medo. Matou comeu parte de um ser humano, fugiu rumo ao seu algoz. Fixou os olhos nela e se preparou.

– É sua última chance. Renda-se.

Yasmim falava calmamente, podia ver as pessoas fugindo, observando a cena com terror. Sua voz chegava até Guy e se projetava sob as exclamações de medo. A polícia logo chegaria até eles, o tempo estava no fim.

– Vai a merda vadia de vampiros!

A arma apareceu na mão de Yasmim vinda de sua cintura e os dois tiros foram certeiros. Um na cabeça e outro no ombro de Guy Vic. A refém humana caiu ao chão. Natália agachou-se no chão e apenas esperou chorando. Yasmim se aproximou e disparou mais um tiro sobre o coração do lobisomem. As duas primeiras balas o imobilizaram, mas essa o mataria.

– Você está bem?

Perguntou Yasmim cheirando a refém e olhando-a por inteiro, se Guy a tivesse ferido, seria mais uma infectada. Felizmente a mulher estava intacta e ficou de pé. Natália estava nos braços da policial e chorava aflita.

– Vai ficar tudo bem Natália. Lembre-se, Guy Vic matou o guarda na sua porta.

– Sim. – respondeu tremendo.

– Vai ficar tudo bem. Eu prometo.

Nesse momento um homem se aproximou, as pessoas se afastaram instintivamente dele. Usava um chapéu de abas largas, negro como seu casaco e colete de couro. A cada passo suas botas rústicas e castigadas pelo uso, chegavam mais perto de Yasmim, que sentiu um arrepio correr por sua espinha. Droga! Um caçador!

Sob seu casaco havia uma espada longa, duas pistolas e certamente muitas adagas. Na cintura ele exibia um pedaço de fita roxa desgastada. Yasmim não sabia o que significava, mas estava certa de que descobriria muito em breve.  Aquele homem de olhar escuro fazia parte de um exercito de homens muito especiais. Que tinham como missão limpar o mundo de todo ser sobrenatural que ousasse tocar a carne de um mortal.

Yasmim de forma protetora colocou a jovem atrás de si e o enfrentou. Togo, líder dos Pacificadores lhe contou sobre os Caçadores, e como se portar diante deles para sobreviver. Tirou de dentro da camisa o selo dos Pacificadores e o levou a luz. Sua mão tremia levemente. A mão coberta pela luva de couro negro segurou a medalha de ouro. A puxou e trouxe Yasmim bem perto.

– Sei quem é, o que faz, o que come e a quem deve reverencia. Estou sobre a terra há mil anos caçando a merda que tem sob seus pés.

Dizendo isso a soltou. Yasmim jamais esqueceria seu rosto. Uma mistura de frieza e indiferença iluminada por um par de olhos azuis cintilantes. Boca carnuda e queixo firme. Havia do olho direito até o queixo uma cicatriz, mas ela não lhe tirou a beleza que havia na face.

– Quero a garota.

– Não. – disse ficando a sua frente.

O homem deteve seu passo e colocou a mão sobre o cabo da espada. Olhou-a com interesse, afinal ela estava tentando detê-lo? Aquela coisinha frágil de cabelos castanho e boca carnuda? Se não tivesse o cheiro da rale vampira séria até bonita.

– Isso não vai me impedir de levar sua “amiga”. – ele disse dando mais um passo a frente.

A refém arrastou-se para longe e foi ajudada por um homem que a afastou do que parecia ser mais um conflito. A polícia se avizinhou, o Caçador olhou em volta e por fim apontou o dedo em sua direção.

– Seu rei receberá notícias minhas.

Dizendo isso a empurrou para o lado e saltou sobre a ponte. Yasmim olhou para baixo. Observou a margem e viu o Caçador sumiu sem deixar rastros.

Voltou-se e viu a polícia cercar a ponte. Depois de uma hora tudo havia terminado. O corpo de Guy Vic foi recolhido e Natália estava dentro de uma ambulância a caminho do hospital onde ficariam em observação por mais um dia depois disso estava livre. Um dos paramédicos dentro da ambulância lhe lançou um olhar significativo e mostrou discretamente a tatuagem no pulso. Era um dos homens da Alcateia de Magnólia, a garantia que Natália estava em segurança.

Faltavam três horas para o amanhecer, tempo suficiente para chegar ao Château.

Continua…

Anúncios