Naza2

Assim que terminei de escrever Alma e sangue, O Império dos vampiros, eu fiquei uma semana, ou duas organizando as ideias, fazendo o que chamo de “Limpeza de Personagem”. Assisto filmes, leio um livro, faço minhas caminhadas, anoto ideias.

Ainda morava em Fortaleza quando tive a ideia do livro o Olho que Tudo Vê. Durante uma saída noturna, andando no centro da cidade vi um grupo de amigos conversando animadamente. Sorriam e conversavam, mas havia muito mais do que mostravam. Troca de olhares, sorrisos, tensão, ciúme. Minha mente borbulhou de ideias, peguei o papel e anotei a ideia. O grupo se comia vivo. Havia muito ali para ser explicado. Com um tempo depois comecei a trabalhar no conto, a primeira palavra foi:

“– Medo”.

Daí em diante os personagens apareceram um a um, Lee, Ariana, Flora, Sabbath, Edgar, Lenna, Otto e Ciro. Seres sobrenaturais vivendo entre os mortais. Deliciando-se com suas experiências no mundo dos vivos. Poderosos, belos, vingativos, ciumentos, torturados por suas naturezas singulares. Mas alegres, festivos, traiçoeiros e acima de tudo apaixonados. E com um dom especial para contar historias. Eles formam um clube seleto de personagens, que dividem um único poder, o do Olho que Tudo Vê.

Para os fãs de histórias de terror, mistério e romance, acho que o livro vai agradar.

Anúncios