Etiquetas

, , , , , , ,

Somos capazes de ir além, isso já foi dito e provado. Não vencemos a morte em todas as circunstancias, mas chegamos bem perto.

Temos muito que evoluir como pessoas, como homens e mulheres. Precisamos de mais tolerância com as coisas que mudam e sempre vão mudar. Não podemos voltar nossos passos para um passado onde a intolerância matava outras crenças e escravizava pessoas.

Devemos lembrar que é fácil declarar guerra, mas que é bem mais difícil Pará-la. E bem mais simples evitá-la.

É necessário lembrar que a vontade de poucos não pode prevalecer sobre o direito de muitos.

A religião é o amparo da alma, não importando qual seja a face do seu deus, lembre-se sempre que a sua fé é particular. E que ela não pode ultrapassar o limite da razão ou as leis que nos tornam civilizados.

O amor, o sexo são sentimentos individuais e cada um pode vivenciá-lo como deseja, desde que não faça mal ao seu próximo.

Não se ofenda com beijos, não julgue para não ser julgado e antes de atirar palavras ou pedras lembre-se de que somos todos passivos de erro.

O planeta é diversificado, assim como a natureza que nos rodeia. É nele que nascemos, crescemos e morremos.

O homem apesar de dominar o planeta não é a única espécie que o povoa, nada mais justo que, como seres dominantes devamos preservar o que nos rodeia. A resposta para nossos crimes contra a natureza tardam, mas não falham.

O melhor presente que podemos receber nas duas datas que param o planeta, é ter o direito de continuar. Sobreviver a velhos presságios, que nos assustam e nos fazem ri. Sabemos que as coisas estão mudando, que o clima vem mudando, nos influenciando. E se sobrevivermos ao dia 21/12/2012  possamos compreender, que como toda espécie temos nossos medos e mitos. E que eles existem para nos fazer refletir sobre nosso destino e futuro. E dele tirarmos lições que passaremos para os nossos filhos e os filhos dele.

Existem ruínas em nosso planeta, ruínas de civilizações que falharam, mas que deixaram conhecimentos e os motivos de sua queda. É com a destruição que devemos aprender a construir o futuro, é nela que estão os acertos. Se não pensarmos assim seremos a próxima ruína e talvez não haja ninguém para visitá-la.

O maior presente é entendermos, que a data pode marcar o começo de uma nova oportunidade para seguirmos em frente como uma espécie mais responsável e inteligente. Buscando sempre a evolução e jamais a regressão a padrões que já se provaram abjetos, impensáveis no presente em que vivemos.

Desejo ter o direito de prosseguir escrevendo um futuro melhor para minha espécie e planeta. Esse é meu pedido.

Anúncios