Antes de começar a escrever o que penso, devo esclarecer algumas coisas.

  1. Não tenho partido político.
  2. Não tenho candidato.
  3. Voto porque sou obrigada.

O que acontece se eu não votar e não justificar a minha ausência?

Você terá de pagar multa em torno de R$ 3. Se não pagar a multa, fica impedido de inscrever-se em concurso público, participar de concorrências, obter empréstimos em instituições financeiras do governo, receber remuneração de função ou emprego público, obter passaporte ou carteira de identidade, renovar matrícula em estabelecimento público de ensino ou praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou Imposto de Renda. Quem não votar e não justificar a ausência em três eleições consecutivas (lembrando que cada turno é uma eleição), terá o título cancelado.

Moro em Natal, Rio Grande do Norte há quase vinte anos. E posso dizer que a cidade está enfrentando seu pior momento.

As greves são muitas, a cidade esta imunda! Lixo por todos os lados, mas claro, se você é turista e vai à praia vai achar a orla perfeita, limpinha. Porque infelizmente no Brasil as melhorias não são pelo bem social, e sim de alguns grupos.

Estamos em época de eleição e praticamente todos os carros da cidade estampam a cara dos pretensos defensores do povo, do cara que trabalha, que luta por uma cidade melhor. Político só trabalha na época da campanha política, só abraça e beija criançinha para conquistar quem acredita em Papai Noel. Depois eles esquecem sua rua que jamais será asfaltada, a parada de ônibus que nunca será construída. A segurança que jamais vai existir.

Quando paramos no sinal somos praticamente alvejados com o lixo de campanha. Bandeiras tremulando, exibindo o número deles. O engraçado é que, quando eles se elegem somem. Você não vê um tipo desses falando das melhorias que conseguiu supostamente nos representando no poder.

Isso vai do presidente ao vereador. Esse povo só quer voto para ganhar privilégios que filho de trabalhador jamais conseguirá trabalhando dois expedientes e estudando a noite. A menos que se candidate também.

Se você não entendeu, eleição é o vestibular dessa corriola de bem nascidos e palhaços. Que sobem ao poder porque você na falta de um candidato de verdade, vota nele achando que não faz diferença.

É, acontece que todo mundo pensou o mesmo, e elegeu alguém despreparado até para assumir a função para a qual se candidatou.

Os políticos se acham Deuses, que na época da campanha descem do Olimpo para se misturar com os pobres mortais. O sorriso de hoje é a porta na cara de amanhã, a cidade suja, a falta de dialogo quando os professores entram em greve, quando não tem merenda escolar, segurança nas ruas.

Os papeis no chão com a cara do político é o seu dinheiro suado nos impostos. Nós pagamos por isso.

Quando é que os homens vão compreender, que respeito e votos se conquistam com ações? Não estou falando de inaugurar um novo posto de saúde, e esquecer o velho, porque foi construído pelo partido rival.

Eles esquecem que trabalham para nós, e se acham no direito de serem praticamente intocáveis. Não tenho partido político, não tenho candidato. Saio de casa revoltada no dia da eleição, porque simplesmente sou obrigada a votar. E essa cambada de safados perdem o que? O orgulho, o salário?

Político deveria fazer exame de saúde, testes de caráter, mostrar um currículo, prestar contas ao povo todos os meses. E provar que pode e sabe governar. Conheço muitos que se elegeram e só vivem em viagem cuidando da saúde com o dinheiro publico, é claro.

Não sou alienada, gostaria de votar, mas não consigo, porque quando saio de casa vejo um estádio gigantesco sendo construído, e no sinal de transito tem um deficiente físico pedindo ajuda para uma prótese porque o hospital público não dá nem um band aid.

Esses estádios me lembram Roma, pão e circo, não era assim?

É, eu não gosto de futebol, mas sou brasileira, pago minhas contas e tenho esperança que um dia a sociedade desperte e pare de votar.

Minhas ideias são perigosas. Não quero um rei, nem uma rainha, nem um governo autoritário feito por militares. Quero um país que provavelmente jamais existirá, enquanto houverem políticos como os que estão se candidatando novamente.

Anúncios