Diante das declarações feitas pela ex apresentadora de programa infantil conhecida como “Mara Maravilha”, resolvi expressar minha opinião por pura incredulidade as declarações feitas por ela, que se acha uma mulher inteligente e equilibrada.

É nesse momento que percebemos como a religião pode ser prejudicial a pessoas sem nenhuma personalidade ou caráter.

Não tenho vergonha de ser mulher nessas horas porque sei que sou incapaz de abrir minha boca para falar tanta bobagem.

Num mundo onde mulheres ainda são espancadas, violentadas, estupradas, cortadas em pedaços e servidas a cães e humilhadas por maridos ciumentos, pais, irmãos. A palavra submissão é um insulto. No Irã ainda utilizam apedrejamento para punir mulheres “supostamente adultera”.

Como fica a sociedade diante de um ato de tamanha regressão a valores que tentamos esquecer e superar para o bem da sociedade?

Fanatismo religioso? Fé em demasia, ou um caso para remédio controlado? Até que ponto ela pode influenciar?

Podemos ignorá-la, fazer dela o assunto no mínimo ridículo, ou devemos lembrar que uma ideia tem muita força. Foi uma ideia de uma “raça pura” que gerou uma guerra mundial e campos de concentração. Idéias são armas perigosas se disseminadas com o objetivo dominação. A tolerância e a liberdade devem ser preservadas porque são elas que nos mantém imunes a violência e a perseguição a credos, raças, condutas sociais.

A religião é o apoio para a alma, um lugar sagrado sem paredes ou portas onde podemos encontrar conforto. Não um modo de vida voltado para abnegação, intolerância, flagelamento perseguição a outras raças, cresças e preferências sexuais. Não uma forma de custear templos fabulosos, a fábrica de milagres e ideias ultrapassada sobre sexualidade e comportamento feminino.

Num país como nosso que vende lá fora a ideia de que a mulher Brasileira é somente uma bunda, como ficamos diante de uma declaração tão retrógada?

Como ficam as mulheres que são espancadas pelos maridos? Submissas esperando a próxima surra?

Não me achem radical, mas no mundo de hoje onde notícias e costumes se espalham como vírus tais declarações deveriam ter sido publicadas com uma tarja de censura de idade, ou uma advertência do ministério da saúde. Fanatismo e machismo fazem mal a saúde. Pelo simples fato de serem ridículas e perniciosas a sociedade.

Não sou de ligar para o que uma desmiolada como essa fala, porque isso tudo pode ser só uma forma de chama atenção para si. Afinal quem é ela no cenário atual? Ninguém que eu saiba, é só mais uma ex- apresentadora de Tv, que não contribuiu em nada com a educação das crianças do Brasil.

Ela viu a luz e a boca escancarou a falar besteira. Eu acredito em Deus, um Deus que quer ver um homem e uma mulher em harmonia, mesmo que sejam duas mulheres e dois homens. Deus é vida, tolerância, amor, paz, inteligência, luz, força e poder.

Não uma criatura que se molda com a necessidade de poder de cada um que abre a boca para falar sobre conceitos ultrapassados, misóginos, machistas e cruéis, que levaram muitas mulheres a fogueira, a forca, ao chicote em tempos passados.

Lembrando que a mulher conseguiu direito de voto por meio do Código Eleitoral Provisório, de 24 de fevereiro de 1932. Mas esse direito só foi dado apenas as mulheres casadas (com autorização do marido), viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar.

Acho que antes dela abrir a boca deveria conhecer a trajetória da mulher no mundo, conhecer as mulheres que lutaram por direitos iguais e foram mortas, silenciadas por serem mulheres e viverem sob o código de conduta fosse da religião ou da sociedade.

O que será das adolescentes de hoje, das meninas evangélicas que estão sendo criadas com a mentalidade de uma escrava sexual? Sim, porque se você é submissa, vai ter de agüentar alguns tipos de violências sejam elas verbais, sexuais, intelectuais.

Fico indignada com quem deseja que a submissão da mulher ao homem volte. Ela deveria ir morar no Iraque e viver debaixo de uma burca. Mulheres e homens devem andar lado a lado, nenhum deve ser submisso ao outro.Decisões e ações devem ser tomadas em conjunto seja na cama e fora dela.

Deveriam interná-la, porque no mínimo está desequilibrada mentalmente, mas o pior é que ela acha que a mulher deve conseguir sua independência financeira, mas deve ser submissa, contudo, dependente das decisões do marido, é tão absurdo que chega a dá um nó na cabeça. E levantam perguntas, como ela é submissa?Que submissão é essa?

Acredito que deve haver harmonia no amor, na vida, na cama e fora dela, respeito pelo parceiro, submissão nunca.

Deus, Jesus infelizmente são usados como desculpa para encobrir monstros disfarçados de crentes na palavra de Deus.

Religião ou vagabundagem?

Anúncios