Hoje estava relendo um capitulo do livro Alma e Sangue, o Pacto dos Vampiros, lembrei de como me senti em certas cenas.O quanto demorei em algumas delas, não por não ter ideias, o problema era a complexidade dos eventos envolvidos. Lia e relia e novas falas e ligações apareciam fazendo do capitulo algo de muito importante.
No capitulo o torneio eu fiquei cerca de uma semana, foi preciso, não queria deixar brechas e quando ele voltou da revisão ainda organizei pequenos detalhes.
Mas os capítulos mais difíceis foram o “Nem tudo são Rosas, e o Morte em Negro e Vermelho”.
Sentia algo se quebrar dentro de mim. Sofri um bocado e só queria chegar no fim para ver tudo resolvido. Porque na verdade eu conheço o final, tenho consciência dele, mas os detalhes sempre me surpreendem, o encaixar das peças do Quebra cabeça que desvendo dia após dia.
Estou escrevendo o Alma e Sangue, Rainha dos Vampiros e sinto que perdi um mês inteiro, estava bastante dispersa e tive vários “sacodes”, confesso que em alguns momentos do mês passado fiquei deprimida e me afastei do livro. Alguns problemas de ordem pessoal me tiraram o sono, a paz e a vontade de escrever. Felizmente depois de um mergulho no meu mundo, voltei à “velha forma” e sinto que o livro está “gostoso”.
Posso sentir o perfume de Jan Kmam me rodear e sua voz em meus ouvidos, sua mão em meu ombro,ahh!Estava com saudade dele.
Como ele mesmo me disse o tempo é agora.

Anúncios